Meditação Guiada com Perguntas – Shiwa Lha – Centro de Estudos do Budismo Tibetano

Meditação Guiada com Perguntas

Terça-Feira – 8h às 9h

Condução Ven. Namdro

ID: 869 109 290 57
Senha: meditar

O que é meditar?

A nossa mente oscila entre experiências mais grosseiras de raiva, desejo, ciúmes, medo, ansiedade e mais sutis de completa tranquilidade, clareza, amor e compaixão. Ela inclui nossos processos intelectuais, sentimentos, emoções, memória e sonhos.

A própria mente tem a habilidade de se observar, analisar, compreender e lidar com todos os eventos que surgem. Isso é MEDITAR.

Como é a nossa prática de meditação?

Existem diversos tipos de meditação: concentração e foco, observação de emoções e pensamentos que surgem e como reagimos a eles, transformação de adversidades, geração de um amor radiante e reconhecer sua sabedoria interior.

Estas técnicas de meditação são divididas em duas categorias:

  • Estabilidade ou Calmo Permanecer

Escolhemos a nossa respiração, um objeto externo ou uma imagem de Buda. Apresentamos diferentes abordagens para mantermos a atenção no foco escolhido.

  • Analítica ou Contemplativa

A meditação analítica envolve pensamentos e conceitos. A partir de reflexões desenvolvemos uma compreensão conceitual, essa clareza conceitual se transforma em firme convicção que, quando combinada com a meditação do calmo permanecer passamos a ter a realização direta, não conceitual e intuitiva.

Esta meditação nos habilita a reconhecermos e fortalecermos nossas qualidades e potencial, reconhecermos e transformarmos nossas aflições e hábitos, e compreendemos a impermanência, a interdependência e como criamos a nossa realidade.

Para quem é a nossa prática de meditação?

Para iniciantes e praticantes, budistas, não budistas, com crenças ou sem crenças.

A meditação não é algo estranho ou inadequado para a mente ocidental. Existem diferentes métodos praticados em diferentes culturas, porém todos eles compartilham o princípio de que é questão de se familiarizar, de praticar esta atividade mental.

Qual é a dinâmica da meditação?

8h a 8h30 – Estabilidade e Atenção plena
– Postura do corpo
– Motivação/propósito para nossa meditação e para nosso dia
– 10 minutos – mantemos o foco, permanecer a nossa atenção em um ponto/objeto.

8h30 a 8h45 – Analítica (contemplativa)
– Reestabelecemos a postura do corpo
– 10 minutos – A pessoa que conduz a meditação faz citações e indagações para refletirmos nelas em relação a nossa vida e como podemos fortalecer, abandonar e transformar nossas conclusões.

Você pode sair da meditação a qualquer momento.

8h45 a 9h – Perguntas

Abrimos para pergunta. Você poderá compartilhar as dúvidas da sua prática de meditação.

Você pode sair caso deseja permanecer no silêncio da experiência da sua meditação.

Por que manter a sua mente estável?

“…se fizermos regularmente dez ou quinze minutos de meditação estabilizadora – mantendo a mente diigida para um único objeto e distanciando de todos os outrospensamentos, isso traz uma sensação imediata de amplitudee nos permite observar o funcionamentos da nossa mente claramente, tanto durante a meditação como no resto do dia.” Kathleen McDonald

“Manter a mente concentrada não é fácil, mas é essencial para que possamos estar totalmente conscientes e no domínio de nossos pensamentos e emoções.

Por que praticar a Meditação Analítica?

“Se você deseja que os outros sejam felizes, pratique a compaixão. Se você quer ser feliz, pratique compaixão.” “A compaixão tem pouco valor se permanece uma ideia; ela deve tornar-se nossa atitude em relação aos outros, refletida em todos os nossos pensamentos e ações.” Dalai Lama

“Ao cultivarmos um sentimento profundo e carinhoso pelos outros, passamos automaticamente para um estado de serenidade. Esta é a principal fonte da felicidade.” SS Dalai Lama

“A verdadeira compaixão se estende para cada um e para todos os seres sencientes, não apenas para amigos, família, ou aqueles em má situação. Para desenvolver a prática da compaixão até o estágio mais completo, as pessoas devem praticar a paciência. Shantideva nos diz que, se a prática da paciência entra em sua mente e a transforma, você começará a ver seus inimigos como seus melhores amigos. Até mesmo como guias espirituais.
Os inimigos nos oferecem as melhores oportunidades de praticar a paciência, tolerância e compaixão.”
S.S. Dalai Lama