N – Shiwa Lha – Centro de Estudos do Budismo Tibetano

Glossário: N

Nobre, superior

Tibetano / Sânscrito:
‘phags pa, arya

.

Nome e forma

Tibetano / Sânscrito:
ming gzugs, namarupa

.

Nuvem

Tibetano / Sânscrito:
sprin pa

.

Nyingma

Tibetano / Sânscrito:
Nyingma

Antiga linhagem do budismo tibetano que ensinava no tempo de Padmasambhava, mestre tântrico indiano do século VIII convidado pelo Rei Trisong Detsen para ir ao Tibete eliminar as influências que obstruíam o estabelecimento do Budismo. O cânone dessa escola tem palavras e traduções que datam dos primeiros tempos da disseminação do Budismo no Tibete.

Nobre exaltado

Tibetano / Sânscrito:
‘phags-pa; arya

Refere-se ao ser que alcançou o caminho da visão, ou seja, que percebeu diretamente a verdade absoluta

Nobre sangha

Tibetano / Sânscrito:
‘phags-pa’i dge-‘dun; Arya Sangha

Comunidade de seres nobres. Uma das Três Joias. Da Nobre Sangha fazem parte aqueles que já realizaram diretamente a vacuidade.

Nobre verdade

Tibetano / Sânscrito:
‘phags pa’i bden pa, aryasatya

.

Nirvana sem residuo

Tibetano / Sânscrito:
lhag med myang ‘das, nirupadhisesanirvana

.

Níveis e caminhos

Tibetano / Sânscrito:
sa lam, bhumimarga

.

Nível

Tibetano / Sânscrito:
as, bhumi

.

Nível impuro

Tibetano / Sânscrito:
ma dag pa’i as,

.

Nível puro

Tibetano / Sânscrito:
dag pa’i sa

.

Nobre assembleia, assembleia suprema

Tibetano / Sânscrito:
‘phags-pa’i-tsogs

Sinônimo de Sangha

Negativo não afirmativo

Tibetano / Sânscrito:
med dgag, parajyapratisedha

.

Neutro

Tibetano / Sânscrito:
lung du ma bstan pa, avyakrta

.

Ngon-dro

Tibetano / Sânscrito:
ngön-dro

Práticas preliminares encontradas em todas as escolas do Budismo Tibetano, normalmente repetidas 100 mil vezes cada. As quarto principais: recitação da fórmula do refúgio, oferecimentos de mandala, prostrações e recitação de mantras de Vajrasattva. A tradição Gelug acrescenta mais cinco: guru ioga, oferecimentos de tigelas de água, meditação de purificação de Damtsig Dorje, confecção de tsa-tsás (pequenas imagens sagradas, feitas com argila) e oferecimento de fogo a Dorje Khadro (jin-sek).

Niilismo

Tibetano / Sânscrito:
chad-pa’i lta-ba

Falsa visão que crê na total não-existência de todos os fenômenos. Visão em geral mantida por aqueles que compreenderam mal os ensinamentos de que os fenômenos são não autoexistentes. Trata-se de uma das duas visões filosóficas extremas que impedem o praticante de alcançar a realização da vacuidade. Essa visão nega a existência dos objetos. Levada à conclusão lógica, nega também a lei do carma e a originação dependente, que são essenciais na Escola Madhyamika.

Niilista

Tibetano / Sânscrito:
.

No contexto dos ensinamentos budistas, alguém que, após ouvir sobre a vacuidade, chega à conclusão equivocada de que nada existe: que não existe a lei de causa e efeito de ações ou que não há vidas passadas ou futuras.

Nirmanakaya

Tibetano / Sânscrito:
nirmanakaya

Ver Corpo de emanação

Nirvana

Tibetano / Sânscrito:
my ngan ‘das, nirvana

Cessação do sofrimento, liberação do carma e passagem para outra existência. Estado além do sofrimento, transcendência do sofrimento. Estado além das causas do sofrimento, insatisfação e problemas. Estado fora da existência cíclica alcançado por um arhat. Ver Liberação, Transcendência.

Buscar Termo:

A lista de resultados de sua busca traz a palavra-chave e todas as descrições em que esta aparece.


Listar por Letra