Q – Shiwa Lha – Centro de Estudos do Budismo Tibetano

Glossário: Q

Quietude mental, calma mental

Tibetano / Sânscrito:
zhi-gnas; samatha

Sinônimos: quietude mental, calma mental, permanência na tranquilidade.

Quatro pontos

Tibetano / Sânscrito:
gnad-bzhi

Os quatro pontos de análise para a compreensão da vacuidade.

Quatro portas (por onde passam as quedas morais)

Tibetano / Sânscrito:
ltung-ba ‘byung-ba’i sgo-bzhi

Não distinguir o certo do errado; descuidar dos pensamentos e ações; ter numerosas aflições mentais; e não ter respeito pelos ensinamentos de Buda.

Quatro purezas

Tibetano / Sânscrito:
.

Nas práticas tântricas: o lugar (meio ambiente) é visto como a mandala da deidade; o corpo (forma ordinária) é imaginada como corpo da deidade; os prazeres dos sentidos são vistos como oferecimentos à deidade; as ações são consideradas como ações da deidade.

Quatro reis guardiões

Tibetano / Sânscrito:
.

Protetores na forma de reis das quatro direções cardeais, quase sempre colocados na entrada dos mosteiros e templos budistas. Dhritarashtra, do Leste, Virudhaka do Sul, Virupaksha do Oeste, Vaishravana do Norte.

Que controla as emanações dos outros

Tibetano / Sânscrito:
gzhan ‘phrul dbang byed, paranirmittavasavartin

.

Que requer interpretação

Tibetano / Sânscrito:
drang don, neyartha

.

Queda

Tibetano / Sânscrito:
lhungs,lhung,lhung

.

Quedas morais

Tibetano / Sânscrito:
ltung-ba

Quedas morais são ações que causam renascimento nos reinos inferiores. Englobam as ações não virtuosas naturais e proscritas. Usam-se normalmente as expressões: ações errôneas e quedas morais (nyes-ltung).

Queimar

Tibetano / Sânscrito:
tshig,‘tshig,tshig

.

Quente

Tibetano / Sânscrito:
tsha ba, tapana

.

Quatro grandes linhages reais

Tibetano / Sânscrito:
rgyal chen rigs bzhi, caturmaharajakayika

.

Quatro imensuráveis ou quatro incomensuráveis

Tibetano / Sânscrito:
tsad-med-bzhi, catvaryapramanani

1. equanimidade imensurável, 2. amor imensurável, 3. compaixão imensurável, 4. alegria imensurável.

Quatro meios de atrair discípulos

Tibetano / Sânscrito:
.

Ser generoso, falar suavemente, oferecer ensinamentos apropriados, ser consistente no que fala e no que faz.

Quatro nobres verdades

Tibetano / Sânscrito:
.

Verdade do sofrimento, verdade da origem, verdade da cessação, verdade do caminho
sofrimentos verdadeiros: impermanência, sofrimento, vacuidade, ausência de identidade
origens verdadeiras: causa, origem, produção poderosa, condição
cessação verdadeira: cessação, pacificação de excelência, saída definitiva
caminhos verdadeiros: caminho, conhecimento, logro, liberação

Quatro poderes oponentes

Tibetano / Sânscrito:
stobs-bzhi

Forças que podem neutralizar as ações não virtuosas. Forças purificadoras. Confessar ações não virtuosas é necessário para neutralizar a força causal que, quando amadurece, traz sofrimentos. Quatro forças que atuam como antídoto efetivo: poder do objeto, poder do arrependimento, poder da promessa, poder da prática. 1. Como os objetos de seus atos errôneos são as Três Joias, cujos preceitos foram transgredidos pela pessoa e pelos seres sencientes que esta pessoa prejudicou, é preciso tomar refúgio e desenvolver a mente altruísta.
2. Arrepender-se sinceramente pelos atos e perceber as consequências.
3. Desenvolver a determinação de nunca mais repeti-los.
4. Aplicar antídotos específicos, como paciência para com a raiva, generosidade para com a avareza, entre outros; e engajar-se em atividades virtuosas como Sete Ramos, recitação de mantras e textos (como A Confissão de Quedas Morais, O Sutra do Coração) e o melhor de todos: meditar na vacuidade.

Quatro classes de tantra

Tibetano / Sânscrito:
.

Divisão do tantra em kriya (tantra de ação), charya (tantra de desempenho), ioga (tantra ioga) e anuttara yoga (ioga do tantra superior).

Quatro continentes

Tibetano / Sânscrito:
.

Ao Leste, Lüpagpo, Terra do Corpo Nobre; ao Sul, Dzambuling, Terra da Fruta Jambu (nosso mundo humano); a Oeste, Balangchö, Terra do Gado Doador; ao Norte, Dramiñän, Terra da Voz Desagradável. Esses continentes aparecem no oferecimento de mandala e são parte da representação simbólica do universo inteiro.

Quatro corpos

Tibetano / Sânscrito:
sku-bzhi

1. Corpo de natureza do Dharma, 2. Corpo de Verdade do Dharma, 3. Corpo de Utilidade, 4. Corpo de Manifestação Física. SVABHAVIKAKAYA, JÑANA DHARMAKAYA, SAMBHOGAKAYA e NIRMANAKAYA

Quatro dignidades

Tibetano / Sânscrito:
.

Animais míticos que representam vários aspectos da atitude do bodhisattva: dragão (para poder), tigre (para confiança), leão das neves (para destemor), garuda (para sabedoria).

Buscar Termo:

A lista de resultados de sua busca traz a palavra-chave e todas as descrições em que esta aparece.


Listar por Letra