“Para orientar e ajudar os outros, troque-se por eles” – Shiwa Lha – Centro de Estudos do Budismo Tibetano

“Para orientar e ajudar os outros, troque-se por eles”

Este vídeo começa com outro exemplo prático de um jovem monge de Kopan sobre como podemos transformar as atividades cotidianas em atenção plena de bodhicitta. Ao cortar legumes ou comida para uma refeição, pode-se pensar: Estou cortando a ignorância e as delusões de todos os seres sencientes com esta faca.

A versão acima está em Inglês. Assista aqui a versão em Espanhol

Lama Zopa Rinpoche começa esse ensinamento explicando que a bodhicitta é um remédio para condições desfavoráveis, sofrimentos indesejáveis e problemas. Em seguida, Rinpoche cita o texto Bodhicharyavatara do grande mestre budista Shantideva: “Para orientar-se e aos outros, troque-se pelos outros”. No momento, a maioria de nós vive nossa vida cuidando de nós mesmos, do “eu”, mais que dos outros. Deixamos que os outros sofram enquanto nós estamos felizes. Mas onde se encontra este “eu” que tanto prezamos?

Rinpoche explica que, se você procurar o “eu” − da cabeça até os dedos dos pés, não o encontrará no corpo, nem na mente, nem nos cinco agregados juntos. Se você o analisar, verá que isso é uma grande imprecisão e demonstra quão “ilusoriamente” vivemos nossas vidas. Não é possível encontrar o verdadeiro “eu”. Rinpoche diz que o maior engano, o maior choque, a maior ignorância é que esse “eu” que estimamos mais do que todos os outros, nem ao menos existe.

A raiz do sofrimento e dos problemas que existem no mundo vem da mente, criada por conceitos errôneos. Normalmente, não pensamos que nossa ignorância seja a causa de nosso sofrimento; achamos que a causa seja externa. Perguntamos por que surgiu este vírus. A descoberta mais importante é que todos os sofrimentos vêm da mente. Por causa da ignorância, temos sofrido renascimentos sem começo até agora. E se não fizermos nada, se acreditarmos nas alucinações desta vida, reencarnaremos repetidamente, sem parar.

É necessário ter o bom carma, mérito, para conhecer o Dharma e receber os ensinamentos corretos de um guru legítimo. O Ocidente não menciona muito o mérito, explica Rinpoche. Há uma falta de preocupação com o mérito que gera a causa da felicidade.

O método para abandonar o “eu” − de onde vêm todos os problemas − é trocar-se pelos outros, valorizar os outros. Quando suas atividades de corpo, palavra e mente são realizadas com a bodhicitta, você acumula não apenas céus de mérito, porém mais do que céus de mérito. Esse mérito ajuda a perceber a vacuidade. Então, é possível cessar os obscurecimentos perturbadores do pensamento. Dessa maneira, a bodhicitta ajuda-nos a alcançar a iluminação. Rinpoche nos pede que lembremos disso profundamente em nossos corações: Quando você faz tudo com a bodhicitta − o bondoso coração supremo que deseja beneficiar todos os seres sencientes e libertá-los dos oceanos do sofrimento − coleciona mais do que céus de mérito todas as vezes.

Obviamente, explica Rinpoche, o objeto do qual você mais coleciona méritos é o guru. Até mesmo o menor oferecimento ao Buddha, mesmo uma minúscula luz de Natal, uma noz ou passas ou uma gota de água, tudo isso se torna a causa para a iluminação. Esse benefício é para você mesmo, mas, se você dedicar o mérito a inúmeros seres sencientes, este oferecimento será uma excepcional causa de felicidade para eles. Rinpoche questiona: Se esta não é a vida mais feliz, o que mais pode ser a vida mais feliz?

Rinpoche diz outra vez: “A coisa mais importante é a bodhicitta. Para poder ajudar a si mesmo e ajudar os outros, a coisa mais importante é trocar-se por eles”. Rinpoche conclui este ensinamento citando o Bodhicharyavatara, no qual é dito que a prática de alguém de se trocar pelos outros deve ser realizada secretamente. Rinpoche explica que isso é para combater a arrogância, porque uma vez que começamos a afirmar: “Eu sou isso”, não há prática de Dharma.

Rinpoche cita partes dos Versos de Khunu Lama Rinpoche em Louvor à Bodhicitta, publicados em inglês na Vast as Heavens, Heavens, Deep at the Sea.

Versos de dedicação para os ensinamentos da COVID-19.

Encontre mais ensinamentos de Lama Zopa Rinpoche em vídeo do Mosteiro de Kopan durante a crise da COVID-19: https://fpmt.org/fpmt/announcements/resources-for-coronavirus-pandemic/advice-from-lama-zopa-rinpoche-for-coronavirus/#video-teachings

Conselhos práticos de nossos professores, oportunidades de estudo do Dharma em casa e muito mais podem ser encontrados na página “Recursos para a pandemia do coronavírus”.

Lama Zopa Rinpoche é Diretor Espiritual da Fundação para a Preservação da Tradição Mahayana (FPMT), uma organização do budismo tibetano dedicada à transmissão da tradição e valores Mahayana em todo o mundo, por meio de ensinamentos, meditações e serviços à comunidade.

Legenda: Lama Zopa Rinpoche dando ensinamentos em sua sala do Mosteiro de Kopan no Nepal, com seus amigos de pelúcia, em abril de 2020. Foto do Ven. Roger Kunsang.